Vólei maculino fica com a prata.

Os jovens jogadores da seleção brasileira masculina de vôlei estiveram bem perto de colocar a medalha de ouro no peito. Depois de o time estar vencendo a final contra a Argentina por 2 sets a 1, e o quarto set por 12 a 5, o time brasileiro acabou sendo derrotado por 3 sets a 2, com parciais de 23/25, 25/18, 25/19, 23/25 e 8/15, em 2h15. O oposto Renan foi o maior pontuador do confronto, com 28 pontos. O Canadá completou o pódio ao superar Porto Rico por 3 a 1 (25/11, 25/12, 23/25 e 25/18).

O brasileiro Tiago Brendle recebeu três prêmios individuais: melhor líbero, defesa e recepção. Renan foi considerado o melhor oposto. Douglas Souza foi o segundo melhor atacante. O argentino Facundo Conte foi eleito o MVP da competição (jogador mais valioso).

O técnico da seleção brasileira, Rubinho, destacou a entrada de dois jogadores argentinos – Zornetta e Ramos – no quarto set, no momento em que o Brasil vencia por 12 a 5, e que mudaram o rumo da partida. “Eles entraram muito bem e sacaram forte. A gente não conseguiu administrar. O nível de experiência da Argentina é diferente da equipe brasileira. Mas chegamos um pouco mais a frente do que estávamos esperando nesse Pan-americano”.

No primeiro set, o Brasil cometeu erros na recepção que proporcionaram os contra-ataques dos argentinos, que chegaram a abrir uma vantagem de cinco pontos 7/12 e 14/19. No final da parcial, foi a vez da Argentina errar e desperdiçar finalizações. A diferença no placar caiu para apenas um ponto (23/24). Mas, em um ataque, a Argentina chegou à vitória por 25/23. Com oito pontos, Renan foi o principal pontuador do set.

A seleção brasileira mostrou o seu poder de reação no segundo set. Com um bom saque e bloqueio mais eficiente, o Brasil abriu vantagem a partir do 17º ponto. Por sua vez, os argentinos desperdiçaram algumas finalizações. O capitão do time brasileiro Maurício fechou o set por 25/18.

O terceiro set foi totalmente dominado pelo Brasil. A Argentina cometeu muitos erros no saque e nas finalizações. A maior diferença da seleção brasileira chegou a sete pontos: 18/11, 19/12 e 21/14. Em 29 minutos, o time brasileiro venceu por 25/19.

Depois de ter uma vantagem de sete pontos no quarto set (12/5), a seleção brasileira permitiu a reação dos adversários. O bloqueio argentino passou a funcionar. O saque também fez a diferença no fim da parcial e a Argentina fechou em 25/23, após 32 minutos.

No tie-break, o domínio foi totalmente argentino, que não deu chances à equipe brasileira. Argentina 15 a 8, em 17 minutos. Em toda a partida, o Brasil cedeu 35 pontos em erros para os argentinos.

O Brasil começou o jogo com Murilo Radke, Renan, Maurício Souza, Douglas Souza, Maurício e Otávio. Líbero: Tiago Brendle. Entraram: Rafael, Thiago e João. Técnico: Rubinho.

A Argentina com Gauna, Gonzalez, De Cecco, Conte, Palacios e Sole. Líbero: Closter. Entraram ainda Filardi, Crer, Ramos e Zornetta. Técnico: Julio Velasco.

Divulgação: COB

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>